Isla de San Andrés

Como eu disse  no post sobre Cartagena das Indias, eu simplesmente peguei o próximo voo para esta ilha no meio do Mar do Caribe, na altura da Nicaráguascreenshot-www.google.com.br 2015-12-01 23-18-02

Dia 1 (segunda)

A chega a noite na ilha já tive a primeira surpresa: os táxis não tem cor padronizada ou identificação, simplesmente é um carro que é um táxi. Assim como em Cartagena não existe taxímetro então combine o valor antes da corrida.

Após fazer o check-in no hostel sai a procura de algo para comer às 23:30. Porem não encontro nada aberto, a vida em em San Andrés é num ritmo muito diferente de Cartagena. Felizmente o bar do hostel era barato.

Dia 2 (terça)

Após um breve passeio pela praia logo pela manhã descubro que existem passeios de barco até Johnny Cay (os nativos pronunciam Key, e algum tempo depois descubro que significa Cayo ou Ilhota). O passeio (da e volta dura cerca de 10 minutos em cada direção e custa COP 10.000 mais COP 5.000 para entrar na ilha. Mas prepare-se para uma farofada.

A ilha é pequena, cerca de 1 km de extensão. Em um canto temos uma praia, nos demais somente pedras e piscinas naturais. No interior existem diversos bares e restaurante. É um passeio para o dia todo pois a volta é somente as 13:30 ou 15:30, logo você vai passe algum tempo na lá. Todas as bebidas são servidas no coco: piña colada, água de coco, coco fresa (morango) e o famoso coco loco que é basicamente álcool puro com leite condensado.

DSC00032

A noite o passeio foi na Noche Blanca, um jantar num barco em movimento. Lá é apresentado algumas danças típicas caribenhas mas no final vira festa mesmo com open bar. Não foi o máximo, mas me diverti  bastante e comi o suficiente 😀

Dia 3 (quarta)

Um dos passeios mais bacanas que fiz foi alugar um carrinho de golf, é muito utilizado na ilha (até a policia local utiliza uns turbinados) existem versões para 4 e 6 pessoas custando por dia COP 80.000 e 115.000 respectivamente. Dá para aluga-lo pela manhã e só devolver no final da tarde. Com ele é possível dar a volta nos 26 km² da ilha com muita calma e parando para apreciar as belas praias. IMG_1985
Uma top é a de San Luiz, com um mar muito azul, piscinas naturais. Seguindo, no ponto mais ao sul da ilha temos o Hoyo Soplador, um geyser natural que expele água do oceano pressionada contra cavernas subterrâneas.

Já do lado oeste da ilha tem um lugar chamado West View, é um parque que custa COP 4.000 para entrar e aproveitar o grande banheirão natural com água sem ondas, cristalina e morna. Tem trampolim e tobogã para entrar, mas a melhor parte é o snorkeling entre peixes por horas. Alem disso tem mergulhos junto a estátua de Netuno (ou será Poseidon?!) e outras atividade aquáticas.

Dia 4 (quinta)

A manhã começou em ritmo acelerado, achar um lugar para fazer mergulho antes do almoço. Em uma única rua existe 5 escolas e saídas de mergulho, fechei dois mergulhos por COP 180.000 (US$ 66,00). As submersões ocorrem em:

  • La Montañita: um incrível coral com profundidade de 20 metros onde pude ver uma lagosta  gigante;
  • La Pirâmide: um pouco raso, 15 metros, mas tem um colina que parece uma piramide. Lá eu vi 3 raias (ou a mesma 3 vezes)IMG_2006

A tarde aproveitei a chuva forte que começava e parava e aluguei uma moto (COP 40.000 por 3 horas) e voltei até San Luiz e aproveitei para fazer mais um snorkeling e aproveitar a água.

IMG_2076Para finalizar a noite fiquei algumas horas sentado a beira mar, escutando as ondas batendo. A orla é muito bonita a noite e segura, pode-se comer em boas restaurantes e depois curtir a escuradão sem problemas.

 

 

Dia 5 (sexta)

IMG_2140Últimas horas, pois meu voo era no início da tarde, aproveitei a praia central. Já comentei antes, mas me senti muito seguro na ilha deixei minha mochila por 1 hora na areia sem ficar preocupado com ela.

Uma coisa bacana sobre San Andrés  é uma duty free zone, ou seja, toda a cidade é um grande shopping sem imposto, é quase como ir para o Paraguai. Então aproveite para comprar algumas coisas como:

  • perfumes
  • bebidas
  • guloseimas
  • malas e mochilas

Resultado da viagem

Isla de San Andrés é linda, passaria lá uma semana inteira, só aproveitando a praia e fazendo mergulhos. Mas se tiver por lá aproveite para ir a Providencia, outra ilha ainda mais perto do paraíso.

IMG_2184

Se quiser ver minhas fotos, pode acessa-las no Facebook ou Flickr. Também gravei alguns vídeos do projeto Good Vibes.

Fisgado

Nir Eyal criou um modelo chamado Hooked que explica como melhor o engajamento de usuários.

Para tanto basta seguir as 4 etapas:

  • Gatilhos
  • Ações
  • Recompensas
  • Investimento

hooked-model-36-638

Gatilhos

  1. Os Designers informam o que deve ser feito a seguir através de gatilhos externos
  2. Os Usuários informa o que deve ser feito a seguir através de gatilhos internos
  3. Emoções fornecem gatilhos internos.

Ações

Comportamento = Motivação * Habilidade * Gatilho

B = M * A * T

hooked-model-67-638

As pessoas são motivadas a:

  • Procurar: Prazer, Esperança (desejo), Aceitação
  • Evitar: Dor, Medo, Rejeição

Resumo

  1. A ação é o comportamento mais simples que o usuário pode fazer antes de receber a recompensa.
  2. To aumentar o comportamento
    • Garanta que o gatilho certo está presente
    • Aumente a habilidade para o gatilho ser mais fácil
    • Alinhe com o motivador correto

Recompensa

3 tipos de recompensa

  • Sociais
    • Cooperação
    • Competição
    • Reconhecimento
    • Aceitação
    • Sexuais
    • Alegria
  • “Lucro”
    • Comida
    • Dinheiro
    • Informação
  • Pessoais
    • ser foda
    • Consistência
    • Competência
    • ser Completo

Em Resumo

  1. Mantenha o sentido de autonomia
  2. Encontre a variabilidade infinita
  3. Diminua a “dor” do usuário

Investimento

Quando o usuário gasta se tempo, dinheiro, colocando algo de valor no serviço.

  • Conteúdo
  • Dados
  • Seguidores
  • Reputação

Em resumo

  1. Pequena quantidade de trabalho aumenta o chance do usuário retornar

Resumo

BDE no ano 2014

Na mesma aula de banco de dados com Delphi 7 e BDE tive o seguinte problema em um computador.

An error occurred while attempting to initialize the Borland Database Engine (error $2501)

Mais um problema estranho que merece uma correção estranha. No site http://aflsistemas.com.br/blog/2009/08/17/solucao-para-os-erros-do-bde-relacionados-a-memoria apresenta a seguinte alteração:

3. Ao carregar Adm BDE clique na aba “Configuration”;
4. Há um item na árvore, no lado esquerdo da tela do Adm BDE, chamado “Configuration”. Se não estiver expandido, expanda-o;
5. Depois, expanda “System”. Abaixo do “System”, selecione “INIT”.
6. Na janela ao lado direito, procure o parâmetro chamado “SHAREDMEMLOCATION”. Mude o valor para “5BDE”.

RH 3.0

Já comentei que fui no evento de 10 anos do Guma (https://blog.calielcosta.com/tag/guma). A segunda palestra foi com Marcos Garrido (http://www.knowledge21.com.br/quem-somos/marcos-garrido/) sobre Management 3.0.

A visão moderna sobre o gerenciamento (facilitação) de pessoas me pareceu muito legal também. O que mais me chamou a atenção foi o CHAMPFROGS, que são os 10 desejos intrínsecos que motivam uma pessoa.

  • Curiosidade – a pessoa precisa experimentar coisas novas, tentar coisas diferentes, se não ficam desmotivadas.
  • Honra – Lealdade, Integridade, Orgulho. Compartilhar valores com um grupo.
  • Aceitação – Precisa de aceitação. Precisa ser aceito sem esconder a personalidade. Ela se sentirá desmotivada se não souber que o time gosta dela.
  • Maestria ou Domínio – Pessoas que precisam enfrentar desafios. Precisam mostrar que sabem.
  • Poder – Pessoas que gostam de influenciar, pessoa que gostam de ser ouvidas, que tem voz ativa
  • Liberdade – Tomar suas próprias decisões. Fazer seu trabalho sem precisar de consenso o tempo todo.
  • Relacionamentos – Ter bons relacionamentos com colegas, podendo contar com eles como amigos.
  • Ordem – Gostam de ter previsibilidade e estabilidade. Necessidade de ambientes estáveis.
  • Objetivo – Pessoas motivadas pelo objetivo, pelo propósito, pela necessidade de propósito. Trabalha por algo maior que si mesma. Precisam sentir que seu trabalho faz diferença nas pessoas.
  • Status – Pessoa que tem necessidade do prestígio social. Gosta de ter privilégios especiais, recompensas, títulos.

Enumerei eles de acordo com a minha vida:

  1. Objetivo
  2. Curiosidade
  3. Liberdade
  4. Maestria
  5. Aceitação
  6. Relacionamentos
  7. Ordem
  8. Status
  9. Honra
  10. Poder

 

Achei um material básico sobre o assunto em http://tableless.com.br/anotacoes-sobre-management-3-0/

Como eu usei uma tática simples para criar tempo e me dar bem com meu chefe

Muito esperto esse Marco Enes

Atitude Organizacional

Cara, imagina a seguinte situação: você está atolado de trabalho, chega o seu chefe e te fala “[seu nome aqui], preciso que você faça isso aqui ó!”
Pronto! Como se você já não estivesse cheio de coisa pra fazer, agora vem esse cara e te larga essa bomba :S
Isso já aconteceu contigo?
Bem quando você achava que ia conseguir terminar alguma coisa e ficar mais tranquilo, ter mais tempo… já era!

Quando eu era consultor de projetos isso sempre acontecia, e me via trabalhando depois do horário pra conseguir dar conta de tudo.
Minha qualidade de vida estava um lixo. Foi quando eu decidi mudar a situação.
Fiquei pensando… como eu posso fazer pra esse cara entender que eu já tenho muita coisa pra fazer?
Se eu simplesmente dissesse que o meu work/life balance estava completamente desbalanceado ele ia rir na minha cara e talvez ia me mandar procurar…

Ver o post original 288 mais palavras

Seja um showman

Eu sou um fã declarado do Prezi.

Esses dias eles publicaram uma apresentação bem maneira sobre os 10 equívocos em apresentações pública. A matéria na integra pode ser acessado em http://blog.prezi.com/latest/2014/2/7/10-most-common-rookie-mistakes-in-public-speaking.html.

Segue o resumo:

  1. Fazer gestos e movimentos sutis
  2. Falar com pouca energia
  3. Não se preparar o suficiente
  4. Não praticar o suficiente
  5. Apresentação centrada em dados
  6. Não tomar riscos
  7. Evitar vulnerabilidades
  8. Ser muito sério
  9. Apresentar muito material
  10. Ser apressado