Pintando no quadro branco

Todas as modelagens utilizando canvas são incríveis. São rápidas de criar, e fáceis de ler.

Um site bem maroto é o http://canvanizer.com/. Com ele é possível fazer

  • Business model canvas
  • Lean Canvas
  • Swot
  • Kanbam

Ele é de graça e pode ser utilizado de forma colaborativa.

Canvas dos Problemas

Já comentei que fui no evento de 10 anos do Guma (https://blog.calielcosta.com/tag/guma). A terceira palestra foi com Jorge Audy (jorgekotickaudy.wordpress.com) sobre Managing Dojo.

Managing Doje é uma criação do Manuel Pimental (https://twitter.com/manoelp) é ajuda na resolução de problema. A dinâmica que realizamos com o Audy foi bem bacana, começou com a criação de um canvas.

CanvasNesse canvas são colocados:

  • Problema: objeto de análise que será discutido
  • Fatos: verdades e teorias comprovadas
  • Ideias: possíveis soluções para o problema
  • Hipóteses: maneiras de resolver o problema
  • Métricas: como será medido se o problema foi resolvido através das hipóteses

Nos juntamos em grupo e cada grupo escolheu um problema e aplicou a dinâmica. O grupo onde eu estava escolheu o problema: “Como diminuir a quantidade de funcionalidades de um sistema”.

A dinâmica foi muito interessante!!!

 

 

Crash, no limite!!!

Caiu para eu resolver um problema bem interessante. No navegador Safari (versão 6.0.1) para o IOS ao abrir uma página o navegador simplesmente fechava, apresentado a janela de erro com o stacktrace. Uau… que página foda, fez o browser do IOS se fechar (nota importante em todos os outros browser funcionava, até no IE 9)

Outras pessoas já tinham conseguindo identificar que desabilitando os CSS da página ela abria sem problemas. Ao ler o stacktrace, confirmo que o problema estava realmente na configuração de estilos, em especial em animações.

Começo aquele trabalho de ir comentando os trechos de código CSS e recarregando a página até que não desse mais o erro. Como tinha poucos estilos envolvendo transitions e/ou transform foi bem rápido.
O problema era causado no seguinte HTML:


<section id="content">
<canvas />
</section>

com a seguinte formatação
#content {
-moz-transition: all .1s linear 0s;
-o-transition: all .1s linear 0s;
-webkit-transition: all .1s linear 0s;
transition: all .1s linear 0s;
}

eu tinha duas escolhas para resolver o problema:

  1. retirar o canvas
  2. retitrar o -webkit-transition

Qual será que escolhi?? Ficar com o desenho na tela, mesmo que sem transição durante as alterações, óbvio.

ROI: sem retorno sobre um investimento

Achado não é roubado e quem perde é abobado

Ontem me aconteceu algo inusitado pela grandeza, mas que a muitos anos na acontecia. Eu perdi dinheiro. E quando falo perder não é o fato de investir mal, ele simplesmente sumiu da carteira. O grande problema é que foi R$  100,00. Cem Reais!!!

Vou contar um pouco como aconteceu. Sai de casa para ir até Porto Alegre, e levei dinheiro em espécie para abastecer o carro no caminho. Desde o momento que sai de casa, abrir a carteira em 5 momentos, 3 deles dentro do carro e a nota de 100,00 estava lá.

Porém, no 4º momento eu abri em público para pegar um documento e não prestei a atenção se a nota estava no lugar correto. Finalmente, no 5º e derradeiro momento, a nota não estava mais lá. Comecei a ter emoções estranhas, me lembrei de quando era pequeno e recebia dinheiro para comprar alguma coisa na padaria ou fruteira ou algo assim, e no meio do caminho, o dinheiro também desaparecia. Ou quando me deram o troco errado e eu ficava chorando porque não tinha como explicar o problema sem transferir a culpa para a caixa.

Quando se é criança muita coisa é explicável, qualquer coisa nos distrai, do nada eu poderia abrir os dedos e o dinheiro cair, é normal. Mas o que não consigo entender como que o dinheiro pode ter sumido de dentro da carteira, e a carteira o tempo todo no bolso. É essa mágica que não entendo.

Me lembrei de outra ocasião quando estava num ônibus urbano e ao descer na parada final, olho pro banco do lado e encontro um celular igual ao meu, pego ele na mão meio surpreso e ao mesmo tempo coloco a mão no bolso para me assegurar que não era o meu. De fato, era o celular que outra pessoa tinha esquecido no ônibus, desembarco e olho na agenda, o primeiro contato na lista de ligações recebidas estava escrito “Mãe” 😀 Ligo de volto explicando a situação e dizendo que iria deixar o celular em propriedade da operadora da linha de ônibus. Alguns dias depois recebo uma ligação do proprietário do celular, me agradecendo. Esse agradecimento me deixou feliz.

Bom, não adianta muito ficar pensando sobre isso. A única coisa que desejo é que quem encontrou faça um ótimo uso (sério, desejo de verdade): comprar um bom livro, sai pra jantar com a esposa, se divertir com os filhos, investir em alguma coisa importante para o futuro, ouvir uma boa música, aproveitar o dinheiro inesperado para fazer algo também inesperado que o deixe feliz.

Como eu fui num evento de empreendedorismo, a maior dica que eu posso dar é o livro: Inovação Em Modelos de Negócios – Business Model Generation, na loja da Saraiva a edição custa R$ 99,80 e pode gastar o troco com bala de banana.

É um livro super bacana que ensina uma técnica visual de como modelar um negócio. É uma prática alternativa e complementar ao tradicional modelo de negócio. A grande vantagem é a rápida visualização de vários pilares da empresa. No evento, descobri que o Sebrae de Porto Alegre e Caxias do Sul estão ajudando as empresas a modelar o seu Canvas. 

Espero que todo esse acontecimento, faça a diferença positivamente para todos os envolvidos.